Centrais Sindicais e grupos esquerdistas planejam bloquear exibição do filme de Olavo de Carvalho na UFBA

0
13736
PUBLICIDADE

No dia 13/11/2017, próxima segunda-feira, a partir das 18:00h, acontecerá a exibição do filme O Jardim das Aflições, do professor, jornalista e filósofo Olavo de Carvalho, no Auditório do PAF III, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Ondina. A exibição, totalmente regularizada pela UFBA, será produzida por Micael Thomas Scunderlick, ativista liberal, fundador e coordenador do Instituto Visconde de Mauá (além de integrantes de movimentos liberais e estudantes da Universidade citada), e terá a participação de convidados especiais para um debate após sua exibição.

O objetivo da exibição é ajudar tornar a UFBA um espaço mais plural e livre. No entanto, Rodrigo Pereira, um dos organizadores da tentativa de censura ao filme, diz que a exibição tem cunho fascista. Todavia, de forma contraditória, Rodrigo diz também que não descarta que uma confusão semelhante ao que aconteceu na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) possa acontecer, inclusive com o uso de violência. De acordo o Jornal do Comércio, um integrante do ato contra a exibição do filme teria começado a confusão na UFPE. Com clara incitação ao ódio e à intolerância, Rodrigo Pereira chama os promotores do evento de “supremacistas brancos”, mas esquece que o Micael Thomas é negro, morador de uma comunidade local, que tem, assim como todos os cidadãos, o direito de discordar do pensamento autoritário dele e dos grupos de esquerda que tentam censurar o evento, considerado certo para acontecer!

SOBRE O FILME:
O Jardim das Aflições (inglês: The Garden of Afflictions) é um documentário de 2017 dirigido pelo cineasta brasileiro Josias Teófilo, com produção executiva de Matheus Bazzo e direção de fotografia de Daniel Aragão. O longa-metragem foi lançado nos cinemas em 31 de maio em diversas cidades brasileiras e, em 27 de julho, em Nova Iorque.

Filmado em 2015 nos Estados Unidos, na cidade de Richmond, capital da Virgínia, O Jardim das Aflições retrata a obra, o pensamento e o cotidiano de Olavo de Carvalho. Homônimo do livro publicado em 1995 pelo filósofo, cujos temas — “filosofia, história, psicologia, ciências políticas, pedagogia numa linguagem de erudição que pouco se viu reunido em única obra brasileira — são aproveitados, o filme abrange temas tão necessários à compreensão da atualidade”.

É um trabalho filosófico preciso que machuca o senso comum, levando o espectador a uma profunda reflexão sobre alguns conceitos primários superficiais. Revela a estratégia de comunicação das esquerdas no Brasil e as armadilhas em que ela se enrola. Destaca a tendência imperial que vem desde os romanos, passa pela Europa e floresce nos EUA. Uma belíssima lição de filosofia aplicada!

A primeira exibição pública de O Jardim das Aflições ocorreu a pedido da coordenadoria do curso de Filosofia e do Clube de Filosofia da Virginia Commonwealth University, em 23 de março de 2017, com a presença de scholars da instituição, além de Josias e de Olavo de Carvalho.

O longa foi o grande vencedor na 21ª edição do Cine PE, realizado em 3 de julho de 2017. O filme foi premiado tanto pelo júri oficial do festival como pelo júri popular na categoria melhor longa-metragem, além de também conquistar o troféu Calunga de melhor montagem.

O Jardim das Aflições também foi destaque na BBC Brasil, no Terra, no Correio de Minas, no Diário de Pernambuco e no Jornal do Comércio, entre outros.

SOBRE O AUTOR:
Olavo Luiz Pimentel de Carvalho (Campinas, 29 de abril de 1947) é um escritor, conferencista, ensaísta, jornalista e filósofo brasileiro. É um dos principais representantes do conservadorismo brasileiro. Em sua juventude, foi militante comunista, inclusive sendo membro do Partido Comunista Brasileiro de 1966 a 1968, tendo feito oposição durante todo o período do regime militar, mas posteriormente decepcionou-se com a ideologia e tornou-se anticomunista convicto.

Olavo foi astrólogo antes de se dedicar à filosofia, colaborando no primeiro curso de extensão universitária em astrologia da PUC-SP, em 1979, oferecido a formandos em psicologia.

Como jornalista, trabalhou em revistas e periódicos, passando por veículos como Folha de São Paulo; Planeta, Bravo!; Primeira Leitura; Jornal do Brasil; Jornal da Tarde; O Globo; Época; Zero Hora e Diário do Comércio. Além de editor do jornal eletrônico Mídia Sem Máscara (www.midiasemmascara.org), com novos artigos e ensaios, Carvalho ministra cursos à distância e presenciais no âmbito da filosofia, bem como promove palestras e conferências.

É autor de vários livros, sendo o primeiro deles, lançado em 1980, A Imagem do Homem na Astrologia. Seu livro O Mínimo que Você Precisa Saber para não Ser um Idiota, lançado em 2013, vendeu algo próximo de 320 mil exemplares. Outros livros dele incluem O caráter como forma pura da personalidade (1993); O Jardim das Aflições (1995); O Imbecil Coletivo (1996); O futuro do pensamento brasileiro. Estudos sobre o nosso lugar no mundo (1998); entre diversos outros.

SUPER INDICADO:
Tanto o livro quanto o filme têm sido bastante comentados na mídia internacional. O economista Alan Ghani, em sua coluna no InfoMoney, listou dez motivos para assistir ao filme:

  • Instiga e faz você refletir sobre sua própria vida;
  • Traz uma bela e reconfortante mensagem filosófica sobre a morte de pessoas queridas;
  • Questiona a ideia de liberdade atualmente. Até que ponto nós somos livres?;
  • Traz importantes reflexões psicológicas e intelectuais;
  • Ajuda a entender a realidade política e atual brasileira;
  • Aborda o cristianismo não pela perspectiva religiosa, mas pela existência real;
  • É um filme real, sem máscaras e com uma bela fotografia;
  • Tem humor, faz rir;
  • Conhecer o pensamento do maior intelectual vivo do Brasil;
  • O filme foi boicotado no festival Cine-PE.

Confira as notas explicativas de cada item acima, clicando no link:
http://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/economia-e-politica-direto-ao-ponto/post/6610337/olavo-tem-razao-motivos-para-voce-assistir-jardim-das-aflicoes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui