Sem tempo para academia? Melhore a saúde do seu coração caminhando

0
19

A prática diminui em 9,3% o risco de desenvolver uma doença cardiovascular

Para algumas mulheres que não têm tempo, trabalham fora, cuidam da casa e dos filhos, separar um momento para fazer exercícios é sempre complicado. Para resolver este problema uma dica é a caminhada, um exercício sem contraindicação, que pode ser praticada em qualquer lugar e por qualquer pessoa. Além de democrática, a caminhada é considerada a melhor atividade para o coração, por ser amena e estimular o batimento cardíaco.

Segundo a Associação Americana do Coração, a prática diminui em 9,3% o risco de desenvolver uma doença cardíaca, reduz em 4,3% a probabilidade de apresentar colesterol alto e em 7,2% o risco de sofrer de hipertensão.

Durante uma caminhada, os vasos sanguíneos ficam mais relaxados e dilatados, facilitando a circulação e diminuindo a pressão arterial. Desta forma, o coração trabalha com menos resistência, o que diminui o risco de problemas como infarto e AVC. A atividade também ajuda a controlar os níveis de colesterol no corpo. Ela não só diminui a produção de gorduras ruins (LDL) – que pode resultar em problemas como a aterosclerose, um acúmulo de gordura nas artérias que obstrui a passagem de sangue – como também age elevando os níveis de HDL, o chamado colesterol bom, essencial para o funcionamento do organismo.

Outro fator de risco para doenças cardíacas, que também pode ser regulado através da caminhada, é o diabetes. Isso ocorre porque a produção de insulina, substância que absorve a glicose nas células, aumenta durante a pratica deste exercício, uma vez que a atividade do pâncreas e do fígado é estimulada.

Apesar da caminhada ser uma atividade mais amena, um estudo da Associação Americana do Coração, publicado no periódico “Asteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology”, mostrou que caminhar tem os mesmos efeitos que correr na redução dos riscos de doenças cardíacas. Segundo os especialistas, caminhar e correr desenvolvem o mesmo grupo de músculos.  Além de proteger o coração, ela também beneficia pulmão e ossos. As trocas gasosas que ocorrem durante a respiração passam a ser mais poderosas quando se caminha com frequência, facilitando a limpeza do pulmão, dilatando os brônquios e prevenindo algumas inflamações das vias aéreas.

A movimentação dos ossos durante uma caminhada faz com que haja maior quantidade de estímulos elétricos, chamados piezelétrico, que facilitam a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a desenvolverem osteoporose. Além disso, pessoas que caminham também controlam melhor o peso.  Segundo uma pesquisa da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, a atividade aumenta o gasto energético, queimando gorduras localizadas. E mesmo após a atividade, a pessoa continua a emagrecer, devido à aceleração do metabolismo.

Setembro Vermelho

As doenças cardiovasculares matam 17,5 milhões de pessoas ao ano no mundo todo – esse número representa 31% de todas as mortes no planeta. De cada três mortes, uma é causada por doença cardiovascular. Elas são a principal causa de morte em pessoas de 40 aos 65 anos e responsáveis por 20% de todos os óbitos em adultos acima dos 30 anos. O Brasil está entre os 10 países com mais mortes por doenças cardiovasculares. Em nosso país elas também são a primeira causa de mortes e o número de óbitos chega a 350 mil em um ano. A principal doença é o derrame, seguido pelo infarto e pressão alta.

Para fazer frente à essa epidemia silenciosa, o Instituto Lado a Lado pela Vida realiza o terceiro ano da campanha Setembro Vermelho – Siga o seu Coração. Em dois anos de realização consecutiva, o movimento ampliou seu alcance e intensificou suas ações, realizando uma extensa programação por todo Brasil. A mobilização acontece durante o ano inteiro, e se intensifica durante o Setembro Vermelho, com ações dedicadas à adoção de estilo de vida mais saudável.

“Queremos mostrar para a população, através de ações e conteúdos, que a prevenção é um estilo de vida que se deve adotar desde criança e que muitas das doenças do coração são genéticas, mas outras são adquiridas. Por isso, comer bem, praticar exercícios, diminuir o estresse e consultar o médico periodicamente, entre outros hábitos simples, podem salvar o nosso coração”, explica a presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira.

No site do Instituto Lado a Lado pela Vida é possível fazer o download das publicações sobre doenças cardíacas. O link é: ladoaladopelavida.org.br/download.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui